poesia

daguerreótipos de cão – guilherme gontijo flores

1

olhos de cão não
nos dizem não revelam
os olhos do seu
dono

perseguem no vazio
a menor parcela
pela cota
do carinho impossível

2

leque mais fino
que o da mais refinada madame
nada refresca nada abana

          de vento sob o sol

corisca sob os olhos do seu dono
que nesse leque inventa
um novo esboço (assim
enxerga) do amor

3

parte do cão existe
a outra insiste sendo o cão
das pulgas

a pata não desliza não há
suavidade – pinça sobre o pelo –
e ao se rasgar
sequer retraça o rastro
que em sua pele
mora
e do seu lar faz presa

a boca em vão
avança sobre a boca
que sobre ele avança

4

a foto não encontra o que no cão
ainda permanece cão encontra
outra forma que sobre o pelo adere
sem encontrar a pele o cheiro o corpo
que forma o cão que ali não mais se encontra

 

guilherme gontijo flores

Padrão

Um comentário sobre “daguerreótipos de cão – guilherme gontijo flores

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s