poesia

soneto à intimidade sublimada – vinicius ferreira barth

a don rigoberto

quão longas horas nestes peitos, neste ninho,
despindo e redespindo minha amada!
cada gemido, quão valioso, cada
mamilo de amor róseo, safadinho.

ó vênus! me acelera! embaixo ou de ladinho,
me esgota! diz meu nome, grita, brada!

(nesse momento ela solta um peidinho)

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s