Poesia de hospital – adriano scandolara

 

Pela herança do sangue do sol
ama-se a noite,
o crepúsculo de uma sirene
que anuncia um infarto.

Luar magnético na janela
máquinas com o cansaço
do relógio, chama
de um cigarro que não verá
reflexo na aurora

e aquele telefonema frio de madrugada.

 

Adriano Scandolara.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s