poesia

Profissão de fé – adriano scandolara

 

                                    para Sérgio Blank

A carne triste e os livros todos lidos,
o peso do mundo sobre os ombros, tão menor que o de seus Fantasmas desconfiados,
e as bocas que cantam
mascando um chiclete de três mil anos.

Entre os restos, o já dito
e o maldito,
tortuosa construo minha
lira de lixo.

 

Adriano Scandolara

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s