poesia

maria – guilherme gontijo flores

ntanas sutkus - maratona na universidade, 1959

MARIA

o poeta canta concretos
e paralelepípidos e sonetos
            mas eu –
            eu carne-só
homem em cada parte –
peço apenas por teu corpo
como cristãos rezam hereges
            o pão nosso de cada dia

guilherme gontijo flores

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s