poesia

100

we have kept our erasers in order
(propércio via ezra pound)

centésimo post é motivo de comemoração
principalmente
principalmente se
principalmente se se
trata de um blog de poesia tradução e crítica
coordenado por quatro grandes desconhecidos
a meio caminho da província completa
então bem que cabe uma historieta

ouçam

bota um ano e meio na conta
trocas de emails sobre poesia
mais do que isso – mais raro do que isso –
trocas sinceras de emails
id est
trocas de muitas críticas e poucos elogios
a coisa evolui para troca de críticas pessoais
pessoais digo cara a cara
junto com pound
o melhor amigo do homem
(é o nome carinhoso de um caneta
que deleta trechos e por vezes
destrói
poemas inteiros
implacavelmente
tal como o velho ez devastara a terra do sr. eliot
apenas com caneta e borracha
e assim fez seu melhor fertilizante)

foi das melhores coisas que me aconteceram
e pra eles também acho

vejamos o resumo da situação
adriano scandolara e vinicius ferreira barth
entraram no mestrado e saíram do século xix
(não necessariamente nessa mesma ordem)
o professor brandão começou
(sim, começou, e não retomou, concentrou etc.)
a escrever poesia
já no século xxi com uma pitadinha de misticismo persa medieval
e eu passei a escrever poesia
pensando na sua obrigação óbvia

ter leitores e ouvintes

(e não me venham com a lenga lenga
de que poesia é contra é da recusa
ou que inventa seu público
nem ousem me dizer que sou demagogo
ou que quero poesia rala para o povo)

mas depois de cem posts temos um motivo de comemoração
principalmente
principalmente se
principalmente se se
trata de um blog coordenado por grandes desconhecidos
e que tem tido um público maior a cada dia

por isso postar 4 poemas nossos
por isso escolher o amor por tema
ou amores
já que cupidos são muitos e variados

com aquele nosso abraço
de obrigado

guilherme gontijo flores

O incandescer do jardim de pupilas

raios de sol que pavimentam
                               meus caminhos
não bastam
o infinito vestido da noite
                   abotoado com estrelas
não basta e nem a forma imperecível
da perfeição que à vista despedaça
                          nunca
irá bastar e nem porções
                          de amálgamas da morte
com limão e gelo
que nunca bastariam
         fórminges caudais que movem terras
                    e cometas
                         qual lágrimas de deuses nunca
nunca bastam nem vida em plenitude
                     basta
                            no contemplar de ti que habita
                                                   as grutas dos meus olhos

(vinícius ferreira barth)

Virtuosismo

Busca do amor sem
            clichês, embora roce
na imagem de rosa desfeita orvalhada
da tua ruivice nua.

Sem os lugares-comuns
de língua pau buceta peitos coxas bunda
sem o virtuosismo da penetração.

Inventar novas formas de amar
como o eclipse
o sol deitando
sobre a lua
ou a lua sobre
o sol
na lenta ninfomania dos séculos.

Mas convida o mesmo templo ao retorno genuflexo
braços, coxas, seus pilares
naves de seios – cúpulas ao ar
e um altar ereto
onde num orgasmo cabe toda a eternidade.

(adriano scandolara)

Ela ria dos versos insensatos
imprecisos

o coração, desvairado
aliciador dos menores carinhos, mendigo nas horas vagas
não sabia ser sincero
não cultivava a língua como ascese
mas como forma
de expressão

e o que sentia ao vê-la, sorrindo ao vento forte da tarde

isso
não havia ainda sido nomeado

(bernardo lins brandão)

feixe
            invisível
                               do olhar
lume que lastra
                               esse rastro
de gravidade
engolfa tudo
em torno
            toda
existência & trans
                    forma com
                     (su) prime
                    num só
                    pon
                    t
                    o
                    .
         como se um
microscópico buraco
                  negro
                 (amor)

(guilherme gontijo flores)

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s