poesia

Nazca

homens graves encaram o horizonte
e pisam as areias de Nazca
em suas linhas feridas a esmo
como hereges perfazem um ato de fé

é preciso fugir dos males daqui
regressar à pátria querida

(num mundo de bastidores
a verdade cheira a demência)

é preciso fazer-se escada
saltar por abismos de graça e justiça
mais altos  mais desconhecidos  mais claros

é preciso colocar a própria mente
sob a sola dos pés

a fim de que as antigas vias tortas
imagens vistas do alto
testemunhem a transfiguração

 

bernardo lins brandão

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s