poesia

ela ria dos versos insensatos

ela ria dos versos insensatos
imprecisos

o coração, desvairado
aliciador dos menores carinhos, mendigo nas horas vagas
não sabia ser sincero
não cultivava a língua como ascese
mas como forma
de expressão

e o que sentia ao vê-la, sorrindo ao vento forte da tarde

isso
não havia ainda sido nomeado

 

bernardo lins brandão

Padrão

Um comentário sobre “ela ria dos versos insensatos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s