poesia, tradução

Poetas e Poemas Tang a partir de William Carlos Williams (pt. 3), por Danilo Augusto

3 - Wang-Wei. jpg

Wang Wei

 

III – Meng Hao-Jan, Wang Wei e Li Yu

Trad. para o Inglês: William Carlos Williams (com  David Rafael Wang)/ Trad. para o português: Danilo Augusto

V
MENG HAO-JAN, 689-740

Guiando minha canoa a uma ilha nebulosa,
Assisto ao sol se pôr enquanto minhas dores se erguem;
Na vasta noite o céu pende das copas,
Mas no lago azul a lua está chegando perto.

Steering my little boat toward a misty islet,
I watch the sun descend while my sorrows grow;
In the vast night the sky hangs lower than the treetops
But in the blue lake the moon is coming close.

VI
WANG WEI, 699-759

Atrelando meu cavalo para beber com você
Perguntei, “Onde está indo?”
Você disse, “Em retirada pra quedar nas montanhas do sul”
Silencioso,
Observo na distância um sem fim de nuvens brancas.

Alighting from my horse to drink with you,
I asked, “”Where are you going?”
You said, “Retreating to lie in the southern mountains.”
Silent,
I watch the white clouds endless in the distance.

VII
LI YU, último rei da Dinastia Tang do Sul, 937-978

Silenciosamente subo o pavilhão oeste.
A lua pende como um grampo de cabelo.
No profundo do jardim outonal
                           A wu-tung está sozinha[1].

Emaranhado,
Intrincado,
O sentimento da partida
                           Se agarra feito folha úmida ao meu coração

Silently I ascend the western pavilion.
The moon hangs like a hairpin,
In the deep autumn garden
                           The wu-t’ung stands alone.

Involute,
Entangled,
The feeling of departure
                           Clings like a wet leaf to my heart.

nota:

[1] wu-tung: A wu-tung é uma árvore, de nome científico Sterculia platanifolia, considerada auspiciosa na China da dinastia Han, segundo relata o pesquisador de história da arte chinesa Michael Sullivan em The Birth of Landscape Painting in China: The Sui and Tʻang dynasties (clique aqui), e por isso é uma referência frequente principalmente na obra de poetas da dinastia Tang.

3 - Li Yu

Li Yu

 

* * *

Meng Hao-Jan (já apareceu na primeira postagem desta série), também referido como Meng Haoram, nasceu entre 689 e 691 em Xiangyang (hoje parte da província Hubei) e foi um dos primeiros e mais influentes poetas da dinastia Tang. Contemporâneo mais velho de Li Po, Wang Wei e outros importantes poetas do período, Meng Hao-Jan foi uma das influências mais próximas destes, particularmente pelo uso da natureza como assunto principal de seus poemas. Sua amizade e longa colaboração com Wang Wei é largamente famosa nas letras chinesas, ambos escreveram cartas e poemas entre si – especialmente no caso de sua separação. Meng Hao-Jan, junto a outros poetas Tang, exerceu grande influência na poesia chinesa posterior e, também, na poesia japonesa. No ocidente, sua importância foi firmada com sua vasta presença na edição em língua inglesa The Jade Mountain: The Three Hundred Tang Poems – que também traz os demais poetas desta seleção.

Wang Wei, também conhecido como Wang Youcheng, nasceu em 699 em Jinzhong, província Shanxi, e foi um grande estadista, pintor, músico, calígrafo e poeta chinês. Chegou a ser nomeado “chanceler da China”, segundo mais alto posto imperial, atrás somente do imperador. Foi considerado um dos maiores pintores do período Tang, e tomado como o provável criador de um estilo monocromático de pintura de forte influência budista, porém nenhuma de suas obras originais chegou aos dias atuais, mas somente cópias e referências em outros artistas e admiradores – assim como não há registros de suas músicas e trabalhos de caligrafia, apenas relatos e apreciações de terceiros. Wang Wei exerceu uma larga influência na historia e cultura chinesa por sua pintura e, principalmente, por sua atividade como poeta. Trabalhou com formas fixas como o “jueju”, onde constantemente contrasta ou aproxima aspectos mínimos e simples da realidade com a busca por uma elevação espiritual e iluminação. Já proeminente poeta e servidor do Império, Wang Wei formou-se zen budista e vegetariano após dez anos de estudos com o mestre Daoguang. Alguns de seus trabalhos foram usados na sistematização proposta por Ernest Fenollosa e, mais tarde, apropriada por Pound na criação do seu “método ideogrâmico”.

Li Yu, também conhecido como Li Congjia ou Li Houzhu (literalmente, “O último rei Li”) nasceu em 937 e se tornou o terceiro e último rei da Dinastia Tang do Sul, sendo capturado pelo exército da Dinastia Song e tendo seu reino anexado. Embora considerado um governador inepto, foi aclamado como grande poeta, sendo considerado o primeiro grande mestre da surgente forma “ci”, característica da poesia Song. Entre sucessor da tradição Tang e elaborador das novas formas da poesia, Li Yu escreveu cerca de 45 poemas ci que perfazem temas como o amor, a história e a filosofia em uma dicção pesarosa e triste. Seu trabalho levou a uma maior formalização e exigência do metro em poesia. Muitas de suas historias continuam populares e estão presentes em diversas óperas chinesas (cantonense) e outras canções populares. Após a escrita de um poema que, veladamente, lamentava a destruição do Império Tang e o estupro da sua segunda esposa, a rainha Zhou, pelo novo imperador Taizong de Song, ele foi envenenado por ordens deste. Muitos de seus poemas permanecem com autoria não confirmada.

(Danilo Augusto)

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s