poesia, tradução

só jong ju (1915-2000)

Só jong-ju

só jong-ju, ou seo jeong-ju (1915 – 2000), foi um importante poeta coreano do século XX & também professor universitário, que por vezes escrevia sob o pseudônimo midang (algo como “ainda imaturo”), & foi indicado ao prêmio nobel cinco vezes. estudou filosofia budista na faculdade budista he-wa, uma formação que teve muita importância na sua vida: em 1936 fundou e editou o periódico siin burak (vila dos poetas), em 1940 decidiu fazer uma peregrinação religiosa como poeta andarilho pela manchúria, da qual só retornaria em 1945, após a independência da coreia.

em o pássaro que comeu o sol, antologia de poesia moderna da coreia, a tradutora yun jung im afirma que “um esteticismo refinado e a mágica manipulação da linguagem produzem em seus poemas um extraordinário poder evocativo, tão próprio da língua coreana, o que faz dele um dos expoentes mais notáveis entre os poetas modernos” (p. 124). impressionante foi o seu fim: depois da morte de sua esposa, em outubro de 2000, o poeta praticamente parou de se alimentar, exceto por cerveja, o que o levou à morte apenas dois meses depois.

a meu ver, interessante é fazer um contraste com a poesia de yi sáng, que já comentei num post anterior anunciando este outro post por breve contraste. ei-lo, então: se o sr. caixa é imediatamente mais acessível para o nosso gosto (pós-)vanguardista ocidental — o que pode ser a prova máxima de que por certo não entendemos praticamente nada da poesia de yi sáng —; por outro lado, a obra do ainda-imaturo nos soa menos familiar & mais oriental, embora possamos encontrar alguns ecos de baudelaire & mesmo do surrealismo francês em suas poesias. penso que, ao soar-nos estranha, ela tem o potencial de chamar a atenção para quanta alteridade podemos encontrar na poesia coreana (portanto, revelando o logro de nos aproximarmos de um yi sáng), assim ela revela sua opacidade, ao mesmo tempo em que podemos nos deixar atravessar por seu vermelho-flor. eu mesmo pouco ou nada teria a acrescentar, fora que esses poemas têm uma imagética impressionante, dotada de uma violência rara em qualquer língua. nesses casos, a compreensão do poema pode passar perfeitamente pela sensação de estranhamento derivada do choque de culturas.

guilherme gontijo flores

* * *

Plena Tarde

No campo vermelho de flores — dizem que ao prová-las
morre-se como dormindo — há um trilho

— dorso de serpente bêbada de ópio
estirada tortuosa lânguida —
por onde ela foge, e me chama…

Corro atrás, entre as duas mãos corre das pernas
sangue que chama em forte aroma

Na tarde escaldante parada como a noite,
nós dois inteiros em brasa…

§

O leproso

Pelo rancor ao sol e à cor do céu
o leproso

Ao luar sobre o campo de cevada
comia um bebê e

Chorava noite inteira um choro tão vermelho-flor

§

Junto ao crisântemo

Terá sido para abrir este crisântemo
que o cuco chorou tanto
desde a primavera…

E terá sido para abrir este crisântemo
que o trovão chorou tanto
dentro das nuvens negras…

Flor, pareces a minha amada irmã
de volta agora diante do espelho,
após a longa juventude de longínquas sendas
de peito aflito de saudade e anseio

Terá sido para as tuas douradas pétalas se abrirem
que na noite passada a geada gelou tão fria
e eu não pude nem pegar no sono…

§

Flores de algodoeira

Mana,
é… comovente

Estas flores, brancas e vermelhas, úmidas e mansamente curvadas
dentro deste azul que se acumula como água de um poço,
foi você mana,
foi você quem as floresceu, não foi?

Este azul de outono — ecoaria num toque de dedo
e até as rochas se esfarelariam todas…

Não foi você, que atravessou aquela dormente primavera
Não foi você, que atravessou aquele imenso verão,
e curvando-se de cima a baixo por essa ladeira de plântagos
fez que florescessem, não foi?

(trad. yun jung im)

O pássaro que comeu o sol – poesia moderna da Coréia. Seleção e trad. de Yun Jung Im. Pref. de Paulo Leminski. São Paulo: Arte Pau-Brasil, 1993.

Padrão

2 comentários sobre “só jong ju (1915-2000)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s