poesia, tradução

Anna Świrszczyńska (1909-1984)

Anna Świrszczyńska, em 1965

Anna Świrszczyńska, em 1965

Anna Świrszczyńska nasceu em 1909, em Varsóvia, e teve uma infância de pobreza. Começou a publicar seus poemas nos anos 30, continuando a escrever durante a Segunda Guerra Mundial – quando participou da resistência polonesa e conheceu Czesław Miłosz. A experiência da guerra deixaria marcas profundas em sua obra, culminando com o volume de versos Budowałam barykadę (Eu construí a barricada)Outra de suas temáticas centrais em suas obras é o corpo feminino.
Faleceu em 1984.
Luciano R. Mendes
* * *

PADAM NA ZIEMIĘ

Padam na ziemię,

ustami do czarnej ziemi.

Mówię: Boże, którego nie ma,

nie daj, żebym zrobiła krzywdę

człowiekowi.

Niech mi wpierw odpadnie ręka,

niech mnie spali

piorun.

Padam na ziemię,

ustami do żywej ziemi.

Mówię: Boże, którego nie ma

na najdalszej gwieździe,

który jesteś we mnie,

Boże doskonały, jak ja jestem nikczemna,

Boże okrutny,

oddaję ci na krwawą ofiarę

największe szczę
ście
mojego życia.

EU CAIO NA TERRA

Eu caio no chão,
de boca na terra preta.
Falo: Deus, que não existe,
não deixeis os homens
me maltratarem.

Deixai que eu caia com as mãos primeiro,
deixai-me ser queimada
por um raio.

Eu caio no chão,
de boca na terra viva.
Falo: Deus, que não está
na estrela mais distante,
que está em mim,
Deus perfeito, tanto quanto sou ímpia
Deus cruel,
te ofereço um sacrifício de sangue
a maior alegria
da minha vida.

JESTEM NAPEŁNIONA MIŁOŚCIĄ

Jestem napełniona miłością,

jak wielkie drzewo wiatrem,

jak gąbka oceanem,

jak wielkie życie cierpieniem,

jak czas śmiercią.

ESTOU REPLETA DE AMOR

Estou repleta de amor
como uma grande árvore ao vento,
como uma esponja no mar,
como o grande sofrimento da vida,
como a hora da morte.

TANIEC MORDU
Odchodzę.

Nie dałeś mi cierpienia,

więc nie oczekuj ode mnie

nienawiści.

To zbyt okazały i ciężki podarunek.

Chyba nie jesteś wart

rzeczy tak kosztownej

jak strzęp żywego ciała.

Zabiłam cię w sobie łatwo.
Oczyszczona
tańczę radosny taniec mordu.

DANÇA DO ASSASSINATO

Vou embora.
Você não me fez sofrer,
então não espere que eu
te odeie.
Esse também é um presente grave.
Acho que você não vale a pena
coisas tão custosas
como rasgar um corpo vivo.

Foi fácil matar você em mim.
Purificada
eu danço alegre a dança do assassinato.

PIERWSZY MADRYGAŁ

Ta noc miłosna

była czysta

jak starodawny instrument muzyczny

i powietrze

wokół niego.

Była bogata

jak uroczystość koronacyjna.

Była cielesna

jak brzuch rodzącej

i uduchowiona

jak liczba.

Była tylko chwilą życia,

a chciała zostać wnioskiem z życia.

Umierając

chciała poznać zasadę świata.

Ta noc miłosna

miała ambicje.

PRIMEIRO MADRIGAL

Aquela noite de amor
foi pura
como um instrumento musical antigo
e o vento
ao seu redor.

Foi rica
como uma cerimônia de coroação.
Foi corpórea
como uma barriga grávida
e espiritual
como os números.

Foi apenas um momento da vida,
e queria ser a definição dessa vida.
Morrendo
queria conhecer o princípio do mundo.

Aquela noite de amor
tinha ambições.

TAKA SAMA W ŚRODKU

Idąc na ucztę miłosną do ciebie

zobaczyłam na rogu

starą żebraczkę.

Wzięłam ją za rękę,

pocałowałam w delikatny policzek,

rozmawiałyśmy, ona była

taka sama w środku jak ja,

z tego samego gatunku,

poczułam to od razu,

jak pies poczuje węchem 

psa drugiego.

Dałam jej pieniądze,

nie mogłam się z nią rozstać.

Człowiekowi potrzebny przecież 

ktoś bliski.

I potem już nie wiedziałam,

po co ja idę do ciebie.

A MESMA COISA POR DENTRO

Eu ia até você para um festim de amor
quando vi na esquina
uma mendiga velha.

Eu a peguei pela mão,
dei-lhe um beijo delicado na bochecha,
nós conversamos e ela era
como eu por dentro,
da mesma espécie,
percebi de uma só vez,
como um cachorro que sente o cheiro
dum outro cachorro.

Eu lhe dei dinheiro,
não conseguia separar-me dela.
Os seres humanos precisam de alguém
que lhes seja próximo.

E depois ainda não entendi
pra que é que fui até você.

(Anna Świrszczyńska, trad. Luciano R. Mendes)

Padrão

2 comentários sobre “Anna Świrszczyńska (1909-1984)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s