poesia

Poesia nórdica| Karin Boye, por Luciano Dutra

Karin Maria Boye (n. 26 outubro de 1900 em Gotemburgo, m. madrugada de 24 april 1941 em Alingsås) é uma escritora e tradutora sueca mais conhecida por sua poesia mas que nos legou também muitos artigos, contos e romances, o mais célebre dos quais é a distópica obra de ficção científica Kallocain (Calocaína, publicada no Brasil em 1974 na tradução do prolífico tradutor Janer Cristaldo). A poesia de Karin Boye, marcada de lado pelo seu engajamento político e doutro por sua complexa vida amorosa, numa época impregnada de preconceitos — mesmo na hoje socialmente avançada Suécia — em que assumir publicamente a homossexualidade nem sempre era uma opção muito promissora. Poeta das grandes ela própria, Karin se viu, entre outros, com os poetas Rilke, Eliot e Whitman, os quais verteu ao seu idioma materno.

• • •

Três versões de I rörelse, poema de Karin Boye (1900-1941), por Luciano Dutra 

(1)
De passagem

O melhor dia não é o que satisfaz:
o melhor dos dias é um dia voraz.

Nossa viagem quiçá até tem um fim
mas a estrada é o que vale pra mim.

Bom é descansar num fim de tarde:
o fogo se acende e o pão se reparte.

No lugar onde dormimos apenas um dia
o sono é tranquilo e o sonho, melodia.

Desperta, que o novo dia já te incita!
Tão grande, nossa aventura é infinita.

§

(2)
Em trânsito

O melhor dia é o que não se consome
pois o melhor dia é um dia de fome.

Pode até ser que haja um fim da linha
mas o que de fato importa é o caminho.

Ai, como é bom parar ao entardecer,
o pão repartir, a fogueira acender.

No lugar onde passamos uma noite única,
o sono é suave e os sonhos são música.

Acorda! Que o sol já renasce no levante.
Nossa aventura é sem fim, de tão grande.

§

(3)
Em movimento

O melhor dia não é o de saciedade
mas sim quando a sede ainda arde.

Algum destino terá a nossa jornada
mas a viagem vale mais que nada.

Parada noturna é o melhor destino:
a fogueira acesa e o pão peregrino.

Lá onde a gente dorme uma vez só
é doce o sono e os sonhos sonoros.

Acorda! Que o novo dia amanheça!
Infinita é a nossa aventura imensa.

§

I rörelse

Den mätta dagen, den är aldrig störst.
Den bästa dagen är en dag av törst.

Nog finns det mål och mening i vår färd —
men det är vägen, som är mödan värd.

Det bästa målet är en nattlång rast,
där elden tänds och brödet bryts i hast.

På ställen, där man sover blott en gång,
blir sömnen trygg och drömmen full av sång.

Bryt upp, bryt upp! Den nya dagen gryr.
Oändligt är vårt stora äventyr.

Anúncios
Padrão