poesia, tradução

2 poemas de Paul Celan, por Matheus Guménin Barreto

Sobre Celan, não precisamos mais fazer nenhuma apresentação aqui. Temos agora dois poemas traduzidos por Matheus Guménin Barreto.

guilherme gontijo flores

***

Salmo

Ninguém nos molda de novo da terra e do barro,
ninguém conjura o pó nosso.
Ninguém.

Louvado sejas, Ninguém.
Por amor a ti queremos
florescer.
Ao encontro
de ti.

Um nada
éramos, somos, seremos
ainda, a florescer:
a Rosa-de-Nada, a
Rosa-de-Ninguém.

Com
o almacândido cálamo,
o ermoceleste filamento,
a rubra coroa
do verbo purpúreo, que cantávamos
sobre, oh sobre
o espinho.

Psalm

Niemand knetet uns wieder aus Erde und Lehm,
niemand bespricht unsern Staub.
Niemand.

Gelobt seist du, Niemand.
Dir zulieb wollen
wir blühn.
Dir
entgegen.

 

Ein Nichts
waren wir, sind wir, werden
wir bleiben, blühend:
die Nichts-, die
Niemandsrose.

Mit
dem Griffel seelenhell,
dem Staubfaden himmelswüst,
der Krone rot
vom Purpurwort, das wir sangen
über, o über
dem Dorn.

§

Em Praga

A meia morte,
amamentada com a nossa vida,
jazia afim-à-cinza em torno a nós –

também nós
bebíamos ainda dois sabres, alma-entrecruzados,
cerzidos a rochas celestes, verbo-sangrento-nascidos
no leito noturno,

mais e mais
crescíamos no outro emaranhados, não havia
mais nome algum para
o que nos impelia (uma das trinta-
e-mais-tantas
era a minha sombra vivente
que a ti galgava os degraus da loucura?),

uma torre,
erigiu-se a meia morte rumo ao Aonde,
uma Hradčany
de puro Não alquimista,

osso-hebraico
moído e feito esperma
escorreu pela ampulheta
que atravessávamos a nado, dois sonhos agora, a soar
contra o tempo, nas praças.

In Prag

Der halbe Tod,
großgesäugt mit unserm Leben,
lag aschenbildwahr um uns her –

auch wir
tranken noch immer, seelenverkreuzt, zwei Degen,
an Himmelssteine genäht, wortblutgeboren
im Nachtbett,

größer und größer
wuchsen wir durcheinander, es gab
keinen Namen mehr für
das, was uns trieb (einer der Wieviel-
unddreißig
war mein lebendiger Schatten,
der die Wahnstiege hochklomm zu dir?),

ein Turm,
baute der Halbe sich ins Wohin,
ein Hradschin
aus lauter Goldmacher-Nein,

Knochen-Hebräisch,
zu Sperma zermahlen,
rann durch die Sanduhr,
die wir durchschwammen, zwei Träume jetzt, läutend
wider die Zeit, auf den Plätzen.

Anúncios
Padrão

6 comentários sobre “2 poemas de Paul Celan, por Matheus Guménin Barreto

  1. Ricardo Carranza disse:

    O comentário do senhor Guilherme Gontijo Flores a respeito de Celan é desrespeitoso. Todo autor deve ser apresentado, porque não temos as mesmas afinidades, além do que, cada qual tem a sua visão do grande autor. Para mim, por exemplo, Celan é o poeta do desespero cósmico, da história ele vê a borda do abismo.Depois, algumas palavras sobre o tradutor, o seu eixo, isto é, de que lado ele olha o Celan, ou porque uma nova tradução se já existem tantas, também seriam necessárias. Em resumo: amor e apatia não se harmonizam.

      • Ricardo Carranza disse:

        Toda publicação deve ser apresentada. Os leitores entram e saem. O leitor pode estar lendo pela primeira vez. Em caso de autor já publicado, informar a publicação para que o leitor possa se situar, é o mínimo necessário e indispensável.

      • Ricardo Carranza disse:

        Não basta olhar a tag. O que temos é uma barra de rolagem com tudo. Eu cheguei em Fernando Pessoa. Lá pelas tantas, há uma apresentação meio sobre a biografia do Celan. Não vi nada que passe perto de algo como Mecanismos Internos de Coetzee.

  2. Ricardo Carranza disse:

    Penso que observei o que foi publicado na escamandro sobre Celan. Além das traduções, minibiografia e colagens, não vi nenhuma apreciação crítica objetiva da obra. Nada que o circunscrevesse. Nada conciso à concisão de Celan. Falta a Celan, portanto, uma apresentação.

Deixe uma resposta para Ricardo Carranza Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s