Uncategorized

Daniel Arelli (1986—)

Daniel Arelli (Belo Horizonte, 1986) é professor, poeta e tradutor. Doutor em filosofia pela Universidade de Munique, atualmente é pesquisador de pós-doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais. Os poemas acima integram seu livro de estreia, Lição da Matéria, vencedor do Prêmio Paraná de Literatura de 2018. Poemas extraídos do livro Lição da Matéria (Prêmio Paraná de Literatura 2018), de Daniel Arelli

* * *

ACÁCIAS

Numa viagem de ônibus
longuíssima
através do dia
e da noite
li pela primeira vez o poema de Parra
sobre as acácias.

Deve ter sido aí que me dei conta
de que sempre projetamos
o que se passa dentro
sobre o que está fora
incuravelmente
como uma espécie de alergia crônica
os erros da geração passada
um mito.

Desde então
sempre que viajo de ônibus
me lembro de Parra
e de seu poema
apoio o rosto no vidro da janela
e tento acompanhar
a paisagem
nua.

§

ALGUÉM VATICINOU      

que o nome próprio é uma maldição perene
como se não bastasse nascer
somos forçados ainda a carregar
os nomes que nos impingem
como um carimbo um ferrete uma etiqueta
a história de promessa e frustração
que representam.

Senão vejamos:

Daniel foi um profeta judeu
capturado pelos babilônios
para servir na guerra contra os persas.
Não raro tinha visões apocalípticas
que transcrevia em versos.
(Sofria também de azia.)
Quando descobriram que era um completo farsante
Daniel foi lançado aos leões
e devorado em poucos minutos.

§

DE QUE SERVIRÁ UM LIVRO

se
ao tomá-
lo
& torcê-
lo
qual pano
de chão en-
cardido
& imun-
do
não lhe
ex-
trair-
mos
ao menos
uma go-
ta de bi-
le
negra
melan-
colia
?

§

CAMERA OBSCURA

1.

Recuas do espaço da luz e da sombra.
Minha palavra te alcança e imobiliza
por um átimo. Vejo-te.

2.

Não sigas o meu rastro, não
a minha palavra, não
a tua memória. Ignora
o meu nome, abandona:
quem eu fui.

3.

Não vês o horizonte de onde
te veem. (Não vês horizonte algum.)
Não vês o exato ponto
de onde te tornas visível.

4.

Dentre todas as formas de aparecer,
apenas uma é a tua.
Dentre todas as formas de ser,
apenas uma te cabe.

5.

Escapar da mirada que vê um rosto em cada coisa.
Escapar da mirada que vê o próprio rosto em cada coisa.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s