poesia

Felipe Fiuza

Felipe Fiuza, Ph.D., é professor de espanhol na East Tennessee State University e diretor do Centro de Recursos de Língua e Cultura, onde também trabalha como tradutor e intérprete. Capixaba, fugiu da ilha faz 9 anos. Acaba de terminar seu primeiro livro de poemas, Em defeso, Eucalipto. Seus hobbies são taekwondo e jogos de tabuleiro.

* * *

La mar y el maíz

Mis compañeros Capixabas viven
en la ciudad sol, isla sin maíz
– y muy pocos se dan cuenta
de esa ironía. En Vitoria, la mar sabe,
es decir, se acuerda, de los maizales
y por eso los imita, espejada.
Nadie comprende lo que dice, nunca,
porque la imaginan siempre callada.

No hay tampoco maíz en Indianápolis,
que lo rodea, isla de tierra en el campo.
Sus ciudadanos tampoco se dan cuenta,
pero aún echan de menos la mar.
Desde que marcharon hacia el oeste
la creen inalcanzable, aislada.

§

Mar&cia

Essência de mangue engarrafada
pra jogar no cangote, afrodisíaco,
com a falsa areia monazítica.
Isso dá um bronzeado de terceiro
grau, contato imediato alienígena.
A tarde não é estática e cada grão
de areia acolhe com seu ardor.
No kioske quem reina é o peroá,
a Brahma gelada, e a água mal lavada.
No final da praia sobe a maresia
que se mistura à fumaça do porto
de Tubarão. E na avenida do Dante
estuprador as Aracelis da limpeza
de cada dia esperam o seu Transcol.

§

Pray of Exile

Ray, Ray,
I miss the Guanabara bay…
I miss the pollution,
the traffic…
(The bullets are missing me too)
I miss walking on Ipanema,
the ocean…
No, no, I don’t miss birds, or trees…
I miss the waters of my mother Iemanjá…
Ray, Ray,
What now, Ray?

Ray, Ray,
The sweet river is gone,
And I am afraid your beloved San Francisco is next…
And I haven’t visit it yet, Ray.
I haven’t seen it.
I’ve been to New York, Chicago, New Orleans, Madrid, Venice…
But I haven’t been in Rosa’s country.
I haven’t touched the waters of the San Francisco River,
and I miss them too…
Ray, Ray,
What now, Ray?

Ray, Ray,
Vitoria is just an invisible city,
waiting to be invented by some Hemingway.
Our mud pan artisans, our Dear lady of the Rock, our Camburi beach,
(I miss the waves and their sway)
all still belong to the realm of ideas:
waiting to find a way.
Ray, Ray,
This is why I pray:
I ask that you go swim, go play,
And tell the waters I’ll be back one day.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s