poesia

Manuella Bezerra de Melo

1.jpg

Manuella Bezerra de Melo é jornalista e escritora. Trabalhou como repórter, produtora, redatora. Escreve nas horas vagas e quando atenção permite espasmos, poemas, crônicas e contos infantis. Viveu no Brasil, na Argentina virou aldeã, hoje está em Portugal. Morou em Braga, atualmente reside em Guimarães, amanhã é outro dia. Está na antologia Pedaladas Poéticas (Aquarela Brasileira, 2017), publicou Desanônima (Autografia, 2017) e Existem Sonhos na Rua Amarela (Multifoco, 2018). Dedica-se a um mestrado de Teoria da Literatura e Literaturas Lusófonas da Universidade do Minho (Uminho).

*

Tinha doze anos
e dançava minha dança
de criança numa festa
de criança quando um dedo
estranho
invadiu minha xota de criança
e treze quando desci do ônibus
na volta da escola e uma mão veloz
de bicicleta me apertou a teta;
beliscão
quase quinze quando um
primo me abraçou por trás
e pôs suas duas mãos
abertas
sob meus peitos tão recentes
— ainda nem havia me dado
conta que estavam lá —
()
os homens que me tocaram
primeiro de um jeito ou de outro
fui impedida de ver seus rostos
§

Não passei fome e me compadeço
em meu privilégio não cortei cana
menina nem andei quilômetros a
pata ou boleia até a escola
Não sou tão rasa que não
se possa tirar proveito nem
tão sabida que se oriente imitar
falta-me chão de pedra e doem
demasiadamente pouco
os calos nos caminhos sob o
rubro céu que vivo; mas
sinto o peso abrupto de quem
vejo não eleito escolho sua trilha
arrasto consigo sua caçamba
Apunho da menina esse facão
e dele extraio pra ela seu trabalho
e sua doçura; não há poesia
sem dividir este peso
§

Invisível na multidão
mais invisível numa
sala sem afeto e com poder
que despertam raros silêncios
e muitos ruídos; o legado
é um escaravelho
§

Língua solta da boca
risca o chão faca afiada
meu próprio inferno
mora em meu corpo
gastura organismo que treme
involuntariamente
onde todo mundo é alguém
e você continua não ser todo
mundo; os outros são somente
onde eu gostaria de morar
pra não ter que morar em mim

*

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s