poesia, tradução

Goethe (28/08/1749 – 22/03/1832), por Daniel Martineschen

Hoje lembramos do falecimento do velho poeta de Weimar, do olímpico, do rival de Schiller (ele se via mais como rival do que rivalizado), do humanista, do neptuniano (que não acreditava em revoluções, mas em evoluções graduais – oh, sabia de nada, inocente…), do pensador que idealizava um mundo unido pela literatura – essa Literatura Mundial, Weltliteratur, que circula o globo e é qual phármakon, veneno-remédio, mercadoria e arte, perdição e redenção, mas mais redenção que perdição, inshallah.

No dia de hoje em 1816, porém, ele também revelou ao mundo numa revista literária da época três primeiros poemas do seu único livro de poemas ainda em gestação, o West-östlicher Divan. Aqui, nesta maravilhosa revista eletrônica, nesta época em que os elétrons é que carregam nossa poesia e nossas vozes – pois o ar anda pestilento –, revelamos esses poemas revelados por Goethe do Divã ocidento-oriental (que falavam da Pérsia e do Islã num modo carinhoso de que hoje o povo iraniano tem tanta precisão), e mais alguns pra acompanhar a seleta que o escamandro publicou em 2014.

Daniel Martineschen

* * *

Die Fluth der Leidenschaft sie stürmt vergebens
An’s unbezwungen feste Land,
Sie wirft poetische Perlen an den Strand,
Und das ist schon Gewinn des Lebens.

A maré da paixão, ela avança em vão
contra a terra firme e incontida. —
Deixa pérolas poéticas no chão,
e isso já é um ganho na vida.

§

Talismane

Gottes ist der Orient!
Gottes ist der Okzident!
Nord- und südliches Gelände
Ruht im Frieden seiner Hände.

Er, der einzige Gerechte,
Will für jedermann das Rechte.
Sei von seinen hundert Namen
Dieser hochgelobet! Amen.

Mich verwirren will das Irren;
Doch du weißt mich zu entwirren.
Wenn ich handle, wenn ich dichte,
Gib du meinem Weg die Richte.

Ob ich Ird’sches denk und sinne,
Das gereicht zu höherem Gewinne.
Mit dem Staube nicht der Geist zerstoben,
Dringet, in sich selbst gedrängt, nach oben.

Im Atemholen sind zweierlei Gnaden:
Die Luft einziehen, sich ihrer entladen;
Jenes bedrängt, dieses erfrischt;
So wunderbar ist das Leben gemischt.
Du danke Gott, wenn er dich preßt,
Und dank ihm, wenn er dich wieder entläßt.

Talismãs

É de Deus o Oriente,
é de Deus o Ocidente!
Norte ou sul, todo torrão
jaz na paz da Sua mão.

Ele, o único que é Justo,
quer a todos só o justo.
De seus nomes, muitos, cem,
que louvemos este! Amém.

O errado me confunde,
mas só tu me desconfundes.
Quando ajo ou poeto,
tu me dás caminho reto.

Quando penso no mundano,
realizo um alto plano.
A mente não dispersa pelo pó
se ergue à escuta por si só.

Existem duas graças no respirar:
sorver o ar, dele se liberar.
Um refresca, o outro oprime:
a vida é assim, mista e sublime.
Graça a Deus, se ele te aperta;
dá graça a Ele se te liberta. 

§
(reflexão para a quarentena)
Fünf andere

Was verkürzt mir die Zeit?
     Tätigkeit!
Was macht sie unerträglich lang?
     Müßiggang!
Was bringt in Schulden?
     Harren und Dulden!
Was macht Gewinnen?
     Nicht lange besinnen!
Was bringt zu Ehren?
     Sich wehren! 

Cinco outras

O que me encurta o tempo?
     Passatempo!
O que o estica, indócil?
     O ócio!
O que endivida?
     A espera e a lida!
O que traz ganho?
     Ponderar tacanho!
O que torna honrado?
     Ser resguardado!

 §

[poema do Livro do mau-humor, pra pensar em fake news e crendices]

Glaubst du denn von Mund zu Ohr
Sei ein redlicher Gewinnst?
Überliefrung, o! du Tor!
Ist auch wohl ein Hirngespinst.
Nun geht erst das Urteil an.
Dich vermag aus Glaubensketten
Der Verstand allein zu retten,
Dem du schon Verzicht getan.

Crês que da boca ao ouvido
alguma coisa se ganha?
A tradição, ó estúpido,
é coisa de mente tacanha.
Eis que vem o julgamento:
das correntes de crendices
a razão (se não desistisses)
pode dar-te o livramento.

 §

[poema do Livro dos provérbios] 

Laß dich nur in keiner Zeit
Zum Widerspruch verleiten,
Weise fallen in Unwissenheit,
Wenn sie mit Unwissenden streiten.
 

Não deixa em nenhum instante
te levarem à incoerência;
quando lutam com ignorantes
sábios caem na ignorância.

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s