Miguel Martins (1969—)

Miguel Martins nasceu em Lisboa, em 1969. É poeta, prosador, crítico, tradutor, letrista de canções, arqueólogo, músico. Este é o seu 27º livro desde 1995. Traduziu, entre muitos outros, Rabelais, Lorca, Luigi Russolo, E. M. Forster, Henry Roth, Aminata Sow Fall e Heather McDonald. É membro do Conselho das Artes do Centro Nacional de Cultura (Lisboa) e do Conselho Editorial da revista Gândara, da Pontifícia … Continuar lendo Miguel Martins (1969—)

“Ode — Indícios de Imortalidade”, de Wordsworth, por Ricardo Neves

A poesia aparece em lugares inesperados. Encontrei-me com a “Ode” de Wordsworth lendo um dos livros do conhecido autor de divulgação científica Stephen Jay Gould, “Ever since Darwin”, capítulo “The Child as Man’s Real Father”. Como contraponto à argumentação puramente científica do seu texto, Gould cita um trecho da Ode:   Though nothing can bring back the hourOf splendour in the grass, of glory in … Continuar lendo “Ode — Indícios de Imortalidade”, de Wordsworth, por Ricardo Neves

Louis Zukofsky, por Arthur Lungov

Louis Zukofsky (1904 – 1978) foi um dos poetas estadunidenses mais inventivos e instigantes do século XX. Poeticamente, Zukofsky segue na linha dos grandes vanguardistas norte-americanos, em especial Pound e T. S. Eliot. Zukofsky vê no poema um objeto linguístico que deve ser manipulado e composto a fim de levar a linguagem e a tradição poética ao máximo de suas tensões. Sua maior obra, o … Continuar lendo Louis Zukofsky, por Arthur Lungov

5 poemas de Rafael Zacca

Rafael Zacca nasceu em 1987 e vive no Méier, Rio de Janeiro. Publicou o menor amor do mundo (7Letras) em outubro deste ano, que se soma a A estreita artéria das coisas (editora Garupa), Mini Marx (7Letras) e Mega Mao (Caju). Também oferece oficinas de criação e, sobre isso, publicou, com o coletivo Oficina Experimental de Poesia, o Almanaque Rebolado (várias editoras). É crítico, além de professor no departamento … Continuar lendo 5 poemas de Rafael Zacca

7 poemas de Christophe Tarkos (1963—2004), por Tina Zani

Christophe Tarkos escrevia principalmente em prosa e tinha forte ligação com a performance e a oralidade. Costumava declamar seus poemas sincronizando corpo, voz, expressão e gesto, como se o próprio texto se corporificasse. Os poemas, em sua forma escrita, seguem os princípios dessa poética: concretizam-se performaticamente na diagramação, na pontuação, na mancha que formam sobre o papel e nas escolhas gráficas, por exemplo. Como se … Continuar lendo 7 poemas de Christophe Tarkos (1963—2004), por Tina Zani

Felipe Ribeiro (1992—)

Felipe Ribeiro é carioca, mineiro e baiano – assim agrada todos os lados da família.É escritor, cronista, tradutor e curador na Revista Toró. Possui dois livros de poemas publicados: Amargo Embargo e Tijolos de Silêncio, de 2017, pela Editora Cândido. Seu terceiro livro está no prelo e o título é O suor que sucede a febre.Mora só, aos 27 anos, no Rio de Janeiro, com … Continuar lendo Felipe Ribeiro (1992—)

Alfonsina Storni (1892—1938), por Ayélen Medail

Alfonsina Storni (1892—1938) atualmente ocupa um lugar dentro do cânone da poesia argentina, lugar que ela nunca teria imaginado ocupar. Sua obra multifacetada abrange poesia, ensaio, artigos jornalísticos e teatro, apesar de ser mais reconhecida por seus primeiros livros, bem próximos ao modernismo de Darío, A inquietude do roseiral (1916), O doce dano (1918) e Irremediavelmente (1919). Publicou oito livros de versos, sendo um deles … Continuar lendo Alfonsina Storni (1892—1938), por Ayélen Medail

Marconi Fonseca

Marconi Fonseca é poeta,  reside em Vitória (ES), formou-se em Direito pela Universidade de Velha- UVV e em Letras/Português pela Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. Foi um dos idealizadores do Sarau Poético “O Quinze” que ocorreu continuamente em Vitória (ES) entre os anos de 2002/2012. Lançou as obras poéticas Marcha dos Fragmentados em 2015, Ratos Retumbantes em 2018 e Assim que a Chuva … Continuar lendo Marconi Fonseca

Nicanor Parra (1914—2018), por Victor Hugo Turezo

Nicanor Parra (1914-2018) foi um poeta e matemático chileno. Nasceu em San Fabián de Alico, na província de Ñuble. Dono de uma extensa bibliografia fundou a antipoesia, movimento-linguagem que extrai composições coloquiais, construindo a desnudez de uma retórica medida e protetiva, além de caracterizar uma escrita que traz imagens autobiográficas sensíveis. Criada também como forma de quebra de paradigmas formais, a antipoesia torna-se urgente para … Continuar lendo Nicanor Parra (1914—2018), por Victor Hugo Turezo

Frederico Klumb (1990—)

Frederico Klumb é escritor e cineasta. Nascido no Rio de Janeiro em 1990, graduou-se em Cinema pela PUC-RJ e hoje cursa o mestrado em Teoria da Literatura na Universidade Federal Fluminense (UFF). Publicou Máquinas mancas da manhã (Edições Garupa), Cinema Circular (7letras), bichos contra a vontade (7letras), entre outros. Participou de antologias, colaborou com revistas especializadas como Continente, Modo de usar & Co, Dusie e … Continuar lendo Frederico Klumb (1990—)