Virginia Brindis de Salas, por Anelise Freitas, Ma Njanu e Marcela Batista.

Virginia Brindis de Salas (1908-1958) foi uma poeta afro-uruguaia a quem se atribui a autoria de dois livros de poesia: Pregón de Marimorena (1946) e Cien cárceles de amor (1949). Como permaneceu (e ainda, de certa forma, permanece) sob a neblina densa do esquecimento, sua obra e vida é repleta de lacunas e de controvérsias. Uma delas é sobre a autoria de sua obra. Alberto … Continuar lendo Virginia Brindis de Salas, por Anelise Freitas, Ma Njanu e Marcela Batista.

Fernanda Vivacqua, por Anelise Freitas

Fernanda Vivacqua nasceu no Rio de Janeiro, em 1992. Desde os anos 2000, vive em Juiz de Fora (MG), onde se formou em Letras-Português e, atualmente, conclui seu mestrado em Estudos Literários. Publicou o livro Maria Célia (Edições Macondo, 2016), reeditado esse ano com cinco poemas inéditos e em versão bilíngue (português-espanhol). Sua plaquete Para os homens que não amam as mulheres (Capiranhas do Parahybuna, 2018) e María Celia serão … Continuar lendo Fernanda Vivacqua, por Anelise Freitas

Anelise Freitas

Anelise Freitas é poeta. Publicou Vaca contemplativa em terreno baldio (2011), O tal setembro (2013) e Pode ser que eu morra na volta (2015). Atualmente se dedica à produção editorial, docência e a revisão, tradução e preparação de textos. Os poemas abaixo são de Sozé, seu quarto livro e o quarto número da coleção Casa de Barro das Edições Macondo. * recuperação do território ancestral … Continuar lendo Anelise Freitas