poesia

Carina Castro

fotografia: luís bahú

Carina Castro (SP, 1988) é poeta, pesquisadora e artivista cultural. É autora do livro de poesia Caravana (Editora Patuá, 2013). Se dedica também aos textos para crianças e jovens, ganhou o Prémio Lusofonia de Portugal (2012) na categoria conto infantojuvenil; de lá pra cá muitos textos engavetados, alguns publicados em revistas digitais e antologias diversas, entre elas a mais recente É agora como nunca (Cia das Letras, 2017). Com Deborah Erê criou o selo de publicações independentes & intervenções gráfico-poéticas Selenitas. É idealizadora e atuante no coletivo de feminismo, arte-educação & infância Espaço Marciana. Atualmente escreve seu próximo livro e ministra oficinas de criação literária para mulheres e crianças. Seus textos e trampos podem ser encontrados internet afora no blog: Tudo é Coisa  e nas páginas: Caravana – poéticas de Carina Castro & Selenitas

***

afiadas

bem sabemos manusear facas
nem sempre na cozinha, meu bem
também riscamos chão
pontiagudas
lâminas afiadas
embainhadas na coragemedo
nem sempre armas brancas

afiamos a língua na pedra
estirada qual kali
mais cortante que a aresta do papel
aveludado capim cidreira
vento frio da madrugada
e o inconfundível sabor
que vem a boca

não mais delírios de buñuel
no brilho que espelha
confunde cegueira tua
rasgar de raios ou lancinante mirada?
§

SPIRITUAL

te aceno do outro lado da margem
mas não sei como transpor esse
rio
de palavras
ditas não ditas
vez ou outra versadas

engulo o choro

pra molhar a garganta
pra desfazer o nó(dulo
molhar por dentro

brota em mim uma delicadeza
bruta
e enquanto cresce corpo acima
caminho sobre as águas

§


IN DOLOR

tem dores que latejam
juntinho do osso
e aprendemos a sorrir
mesmo assim
gengiva exposta
falta chorar
de rir
mostro os caninos
quando desestruturada
a gente fica sem cara
e aquela dor canina
insiste
a gente
insiste também
sem anestesia
sente fundo a dor até não sentir mais
espinha ereta
nadamos do âmago
ao mar aberto
até que possamos levitar

e carregar os próprios ossos

 ***

Padrão