um poema inédito de Ernesto von Artixzffski

O Ernesto teve seu début aqui no escamandro há pouco mais de um ano (clique aqui) com alguns poemas próprios, e desde então com frequência tem contribuído com traduções de poetas como René Depestre, Roque Dalton, Salvatore Quasimodo e Ungaretti, enquanto desenvolve um projeto, mais a longo prazo, de traduzir o francês Paul Valéry. Deu as caras também em revistas como Mallarmargens, Germina Literatura e … Continuar lendo um poema inédito de Ernesto von Artixzffski

giuseppe ungaretti, por ernesto von artixzffski

giuseppe ungaretti (alexandria, 1888 – milão 1970) talvez seja, do dito grupo dos herméticos – se é que assim se pode classificá-lo -, o mais plural representante. soldado na primeira guerra mundial, lutou na província de trieste. escreveu alguns poemas em francês – publicados sob o título de derniers jours em 1919 – e lecionou durante cinco (1937-42) na USP. ainda que a ele se … Continuar lendo giuseppe ungaretti, por ernesto von artixzffski

salvatore quasimodo, por ernesto von artixzffski

salvatore quasimodo (Sicília, 1901-68) ainda não é muito conhecido por aqui, mas tem sobre sua obra uma aura poética imponente, construída a partir de uma poesia de absoluta beleza e simplicidade. parte da crítica disse: quasimodo é a década de trinta. um exagero, certamente. afinal, se em 32 sai o enigmático oboè sommerso, é no ano seguinte que ungaretti nos brinda com sentimento del tempo. … Continuar lendo salvatore quasimodo, por ernesto von artixzffski

roque dalton por ernesto von artixzffski

Ahhh, o Roque Dalton, talvez um dos mais importantes, apesar de pouco conhecido, escritores da chamada Geração Comprometida. Junto com Salarrué (1899) e Jacinta Escudos (1961), ele integra a Trindade da literatura salvadorenha. Com um traço comum que os une: as variações da noção de morte. El Salvador, o menor e mais denso país da Mesoamérica, possui uma vasta história de violência. Durante a guerra … Continuar lendo roque dalton por ernesto von artixzffski

rené depestre (1926), por ernesto von artixzffski

O Depestre é um daqueles caras que nunca vamos entender como pudemos passar tanto tempo sem conhecer. Eu mesmo o descobri assim, por acaso. Nascido em Jacmel, Haiti (1926), foi, por conta de seu idealismo comunista, um exilado constante. Por aqui passou na metade da década de cinquenta (1954-56), hospedando-se em Copacabana, perto do apê do Jorge Amado (que ele conheceu em Praga, junto com … Continuar lendo rené depestre (1926), por ernesto von artixzffski

ernesto von artixzffski (1992)

esse piá é prata da casa, i.e., das não-tão-frias terras de curitiba, & gosta de se apresentar assim: “Meu nome não é Ernesto, é Sergio Maciel. Nasci aqui em Curitiba mesmo. Tenho vinteum anos. Entrei na UFPR em 2011 (letras português/italiano) e tranquei o curso em 2012, desde então não faço nada oficialmente. Li meu primeiro livro em 2010, aos dezoito anos, e foi Dom … Continuar lendo ernesto von artixzffski (1992)