A poética da comédia nova romana, por Rodrigo Tadeu Gonçalves e Leandro Cardoso

Introdução A comédia latina, chamada pelos romanos de comedia palliata (a partir do termo “pálio”, um tipo de indumentária grega), foi um gênero muito importante e popular no período republicano romano desde sua introdução nos festivais públicos chamados ludi scaenici (literalmente “jogos de encenação”) em 240 a.C. até a morte de Terêncio em 159. Todos os textos produzidos para os festivais tinham como modelo uma … Continuar lendo A poética da comédia nova romana, por Rodrigo Tadeu Gonçalves e Leandro Cardoso

lançamento em curitiba – escamandro #01

é com muita alegria que nós, os 4 coeditores do escamandro, convidamos a todos que estiverem em curitiba esta semana para participarem do lançamento em terra natal da primeira edição impressa de nossa revista-livro. o lançamento será na sexta-feira (dia 4 de abril, o mês mais cruel), a partir das 19h nos círculos infernais do bar do dante (rua conselheiro carrão, esquina com alberto bolliger, … Continuar lendo lançamento em curitiba – escamandro #01

marcelo sandmann

Marcelo Sandmann é poeta, compositor e professor de literatura portuguesa na Universidade Federal do Paraná. Publicou os livros de poesia Lírico Renitente (2000), Criptógrafo Amador (2006) e Na Franja dos Dias (2012). Organizou o volume A Pau a Pedra a Fogo a Pique: Dez Estudos sobre a Obra de Paulo Leminski (2010). Lançou, com Benito Rodriguez, o CD Cantos da Palavra, com interpretações de Silvia … Continuar lendo marcelo sandmann

sérgio blank

Sérgio Blank (Cariacica – ES, 1964) é poeta, autor dos volumes Estilo de ser assim, tampouco (1984), Pus (1987), Um, (1988), A Tabela Periódica (1993) e Vírgula (1996), além da fábula infanto-juvenil ilustrada Safira (1991). Toda sua obra foi reunida no volume Os Dias Ímpares (2011), publicado pela editora Cousa. Abandonou a escrita da poesia após seu último livro, mas continuou trabalhando com literatura como … Continuar lendo sérgio blank

dirceu villa

O poeta Dirceu Villa nasceu em São Paulo em junho de 1998 embrulhado numa capa vermelha que estampava o desenho de um camaleão. É o rei de Inscape e o melhor poeta de que você jamais ouviu falar. Tem poemas traduzidos para línguas nas quais ainda se lê poesia. As crianças o chamam de Medusa, e ele gosta de andar pela cidade porque detestaria ter … Continuar lendo dirceu villa

horácio fiebelkorn

Horacio Fiebelkorn nasceu em La Plata em 1958 e vive em Buenos Aires. Publicou Caballo en la catedral (ed. El Broche, La Plata, 1999), Zona muerta (La Bohemia, 2004), Elegías (2008), Tolosa (2010), Sobre o tempo que se perde em buscar o tempo perdido (publicado em plaquete com tradução de Virna Teixeira, São Paulo, 2011) e Pájaro en el palo (Uruguay, 2012). Integrou também uma antologia de poetas platenses em 1998 e a Antologia de poesia erótica … Continuar lendo horácio fiebelkorn

tarso de melo

Tarso de Melo (Santo André, 1976) é autor de Caderno Inquieto (Dobra, 2012), seu sexto livro de poemas. É advogado e professor universitário, com doutorado em Filosofia do Direito pela USP. Abaixo, um dos poemas presentes na primeira edição impressa do escamandro, a ser publicada em breve. PS: confirma mais poemas de Tarso de Melo, junto de um pequeno comentário crítico ao seu Caderno Inquieto, … Continuar lendo tarso de melo

dahlia ravikovitch

Dahlia Ravikovitch (דליה רביקוביץ) foi uma poeta israelense, nascida em 1936 num subúrbio de Tel Aviv, na época Mandato Britânico da Palestina. Foi uma das formadoras da poesia israelense contemporânea, ao lado de Yehuda Amichai (1924-2000), Natan Zach (1930) e David Avidan (1934-1995), publicando doze volumes de poesia, três coletâneas de contos e vários livros infantis, bem como traduções, para o hebraico, de autores como … Continuar lendo dahlia ravikovitch

maurício mendonça cardozo

Mauricio Mendonça Cardozo (Curitiba, 1971) é professor de tradução e tradutor de autores como Cummings, Celan, Rilke, Lasker-Schüler, Storm, Heine e Goethe. Abaixo, o poema número iii dos 7 que compõem a sua série “destempo”, presente na primeira edição impressa do escamandro, a ser publicada em breve. escamandro             iii do vinho o mis en bouteille selado de gole da história o caco do … Continuar lendo maurício mendonça cardozo

uljana wolf

Uljana Wolf (Berlim, 1979) é poeta, tradutora e editora formada em Germanistik, Anglistik e Kulturswissenchaft, pela Humboldt Universität, em Berlim. Tem dois livros de poesia publicados: kochanie ich habe brot gekauft (2005) e falsche freunde (2009) e já recebeu alguns prêmios literários, tais como o Peter-Huchel-Preis, Dresdner Lyrikpreis e o Villa Aurora grant in Los Angeles. Além disso, traduziu para o alemão alguns poetas de … Continuar lendo uljana wolf