nota crítica: “Poemas” de pier paolo pasolini, por ernesto von artixzffski

saiu há pouquíssimo tempo, coisa de um mês só, o livro Poemas de pasolini; uma seleção poética organizada pelo trio que vem encabeçando as recentes publicações italianas da cosac: maria betânia amoroso (escrevendo o posfácio), alfonso berardinelli (na organização e introdução) e maurício santana dias (tradução e notas). tendo a oportunidade de ter trabalhado com a editora na feira literária do sesc, que acontece todo … Continuar lendo nota crítica: “Poemas” de pier paolo pasolini, por ernesto von artixzffski

Trilussa, por Daniel Dago

Trilussa, pseudônimo de Carlo Alberto Camillo Mariano Salustri (1871-1950) – Trilussa é anagrama de Salustri –, foi um dos maiores poetas satíricos da Itália. Apesar da enorme fama em seu país natal, não alcançou sucesso no exterior, em grande por ter escrito especialmente em dialeto romano. Suas inúmeras “favole” (fábulas) são conhecidíssimas até hoje. Escrito em italiano, “L’uccelletto” (literalmente, “o passarinho”, mas escolhemos “o pintinho” … Continuar lendo Trilussa, por Daniel Dago

3 poemas de francesca cricelli

Francesca Cricelli (Ribeirão Preto, 1982) tradutora e pesquisadora, seu livro de poemas Repátria será lançado em julho de 2015 (Selo Demônio Negro). Doutoranda em Estudos da Tradução (USP), organizou e traduziu as cartas trocadas entre Ungaretti e Bizzarri 66-68 (Scriptorium, 2013) e é curadora das cartas de amor de Giuseppe Ungaretti para Bruna Bianco (Mondadori, 2016). Sócia fundadora do Hussardos Clube Literário com Vanderley Mendonça, … Continuar lendo 3 poemas de francesca cricelli

2 poemas de pasolini

pier paolo pasolini (1922-1975) é figurinha conhecida & dispensa apresentações: seus trabalhos como cineasta, crítico & romancista são muitíssimo divulgados, & talvez a faceta menos conhecida de sua obra seja mesmo a poesia, por onde ele começou sua carreira. mas vejam bem, vejam bem: menos conhecida, aqui, certamente não coincide com menos interessante.por isso logo abaixo vão dois poemas- até onde eu saiba – inéditos … Continuar lendo 2 poemas de pasolini

salvatore quasimodo, por ernesto von artixzffski

salvatore quasimodo (Sicília, 1901-68) ainda não é muito conhecido por aqui, mas tem sobre sua obra uma aura poética imponente, construída a partir de uma poesia de absoluta beleza e simplicidade. parte da crítica disse: quasimodo é a década de trinta. um exagero, certamente. afinal, se em 32 sai o enigmático oboè sommerso, é no ano seguinte que ungaretti nos brinda com sentimento del tempo. … Continuar lendo salvatore quasimodo, por ernesto von artixzffski

Via, de Caroline Bergvall

Caroline Bergvall é uma poeta nascida em 1962 na Alemanha, filha de um casal franco-norueguês, e radicada na Inglaterra desde 1989. Como era de se esperar, com um background cultural desses, sua produção se foca em temas como multilinguismo, bem como também feminismo e questões de identidade cultural, muitas vezes trabalhando não só com o texto escrito, mas também performance, poesia sonora e instalações multimídia. … Continuar lendo Via, de Caroline Bergvall

“cantico delle creature”, de são francisco de assis

hoje nasceu nosso segundo filho. mais um motivo pra louvar a tudo, mesmo sem metafísica. (what thou lovest well remains, the rest is dross) até cercados pela dor do mundo, haverá – assim eu digo – haverá espaço para um cântico. guilherme gontijo flores   Cantico delle creature / Cantico di fratre Sole Altissimo, onnipotente, bon Signore, tue so’ le laude, la gloria e l’ honore … Continuar lendo “cantico delle creature”, de são francisco de assis

Trabalhar cansa

Do poeta, prosador e tradutor italiano Cesare Pavese (1908 – 1950) nós já apresentamos aqui um conto – ou, bem, um poema em prosa ou obra de prosa poética – anteriormente no escamandro, na tradução da Nina Rizzi (clique aqui). Agora seria interessante darmos uma olhadinha breve numa parte da sua obra em verso. Resultado do trabalho de tradução e pesquisa de Maurício Santana Dias … Continuar lendo Trabalhar cansa

“anos”, de cesare pavese

em micromonumento a mais um aniversário póstumo do escritor italiano cesare pavese, eis este conto – eu quero dizer, este belo poema em prosa narrativo – apresentado & traduzido pela poeta & editora nina rizzi (aguardem alguns poemas dela aqui, meus caros). guilherme gontijo flores AVE CESARE! UM ESCRITOR SOFRIDO por Nina Rizzi “Di quel che ero allora non resta più niente: appena uomo, ero … Continuar lendo “anos”, de cesare pavese

gaspara stampa (1523-54)

gaspara stampa (1523-54) é provavelmente a maior poetisa italiana do renascimento; mas insistir especificamente no fato de que seria a maior “poeta mulher” pode parecer prêmio de consolação, já que não havia tantas escrevendo em seu tempo, num espaço patriarcal como se pode imaginar para a itália dos séculos xv & xvi. não se trata disso, portanto. ela é uma poeta maior, sem qualquer distinção … Continuar lendo gaspara stampa (1523-54)