Gravuras japonesas, de John Gould Fletcher (1886-1950), por Anderson Lucarezi e Lucas Zaparolli de Agustini

John Gould Fletcher (1886 – 1950) nasceu em Little Rock, Arkansas, no seio de uma família abastada, o que lhe possibilitou estudar em Harvard. Com a morte do pai, em 1906, deixou a universidade para viver de herança e empreendeu uma longa viagem para a Europa, acabando por estabelecer-se em Londres, onde publicou, em 1913, cinco livros às próprias custas. Nessa época, tendo conhecido Ezra … Continuar lendo Gravuras japonesas, de John Gould Fletcher (1886-1950), por Anderson Lucarezi e Lucas Zaparolli de Agustini

Don Juan de Byron, por Lucas Zaparolli de Augustini, pt. 1

O melhor Canto do Don Juan de Byron à beira do bicentenário de Don Juan   Byron considerava este Canto “muito decente”, e também algo dull, “monótono”. Porém até seus desafetos reconheciam ser aqui um dos seus pontos culminantes. O poeta S. T. Coleridge, merecedor de vária sátira na obra byroniana, é quem diz (dias após a morte de Byron, em 1824) ser a “melhor” … Continuar lendo Don Juan de Byron, por Lucas Zaparolli de Augustini, pt. 1

“Don Juan”, de Byron, por Lucas Zaparolli de Augustini

Em 2003, o pesquisador Daniel Lacerda perguntou a Augusto de Campos qual obra carecia ser traduzida ao português, e afirma que “não pude deixar de me surpreender ao ouvir a citação do poema byroniano.” (Lacerda, 2008, p. 17). Na sequência, Daniel – orientado por Décio Pignatari – fez uma tese acerca do uso sistemático da metalinguagem (que prenunciaria a modernidade) em Don Juan, e foi … Continuar lendo “Don Juan”, de Byron, por Lucas Zaparolli de Augustini