4 poemas inéditos de Matheus Guménin Barreto (1992—)

Matheus Guménin Barreto (1992- ) é poeta e tradutor mato-grossense. É autor dos livros de poemas A máquina de carregar nadas (7Letras, 2017) e Poemas em torno do chão & Primeiros poemas (Carlini & Caniato, 2018). Doutorando da Universidade de São Paulo (USP) na área de Língua e Literatura Alemãs – subárea tradução -, estudou também na Universidade de Heidelberg (Alemanha). Encontram-se textos seus no … Continuar lendo 4 poemas inéditos de Matheus Guménin Barreto (1992—)

2 poemas de Paul Celan, por Matheus Guménin Barreto

“Salmo

Ninguém nos molda de novo da terra e do barro,
ninguém conjura o pó nosso.
Ninguém.

Louvado sejas, Ninguém.
Por amor a ti queremos
florescer.
Ao encontro
de ti.

Um nada
éramos, somos, seremos
ainda, a florescer:
a Rosa-de-Nada, a
Rosa-de-Ninguém.

Com
o almacândido cálamo,
o ermoceleste filamento,
a rubra coroa
do verbo purpúreo, que cantávamos
sobre, oh sobre
o espinho.”

Matheus Guménin Barreto traduz Paul Celan. Continuar lendo 2 poemas de Paul Celan, por Matheus Guménin Barreto

Peter Waterhouse (1956—), por Matheus Guménin Barreto

“Tropeçamos no porão e lá calamos. Mas
pela escada subimos à casa e
em cima comemos a geleia de amarena achada embaixo. Mas significa aqui:
Depois do terrível tropeçar nós nos
metamorfoseamos e calamos maravilhosamente.
Sobre o que calamos?”

Matheus Guménin Barreto traduz o austríaco Peter Waterhouse. Continuar lendo Peter Waterhouse (1956—), por Matheus Guménin Barreto

Ingeborg Bachmann (1926-1973), por Matheus Guménin Barreto

Ingeborg Bachmann nasceu em 1926, na Áustria. Poeta, romancista, tradutora, libretista, ensaísta e dramaturga, recebeu em 1964 o Prêmio Georg Büchner. Ainda em vida foi reconhecida como uma das mais potentes vozes da literatura em língua alemã e no panorama literário europeu foi posta ao lado de nomes como Virginia Woolf e Samuel Beckett, enquanto leitores brasileiros veem semelhanças entre sua obra e a de … Continuar lendo Ingeborg Bachmann (1926-1973), por Matheus Guménin Barreto

Matheus Guménin Barreto

Matheus Guménin Barreto (Cuiabá – Mato Grosso) é pós-graduando da Universidade de São Paulo (USP) na área de Língua e Literatura Alemãs, subárea tradução. Publicou traduções de Ingeborg Bachmann em Lira argenta (2017) e Dito ao anoitecer (2017), de Bertolt Brecht em Cântico de Orge (2017) – todas no Selo Demônio Negro, as duas últimas também na Editora Hedra e na Douda Correria. Publicou em … Continuar lendo Matheus Guménin Barreto