Virgílio, “Geórgicas”, Livro 2, vv. 1-109, por Rafael Silva

“mas quantas as espécies e quais são os nomes delas?”, por uma tradução poética das Geórgicas de Virgílio pouca gente sabe, menos gente ainda faz lá questão de lembrar, mas a obra de Virgílio não se restringe à Eneida. além de ser o autor das Bucólicas, conjunto de dez poemas que retoma muito da produção helenística de Teócrito e que constitui o mais influente modelo … Continuar lendo Virgílio, “Geórgicas”, Livro 2, vv. 1-109, por Rafael Silva

3 Tristia de Ovídio, por Pedro Yacubian

As Tristia de Ovídio, em cinco livros, são, ao que tudo indica, as primeiras elegias do ciclo de exílio do poeta, com início em 8 AD, depois de relegado por Augusto à antiga cidade de Tomi (hoje Constança, na Romênia), e fim em, provavelmente, 17 AD, com a morte do poeta. O primeiro poema do livro I é um diálogo do poeta com seu próprio … Continuar lendo 3 Tristia de Ovídio, por Pedro Yacubian

XANTO| Em torno do fragmento 196a de Arquíloco, por Guilherme Gontijo Flores

Nota: o texto abaixo é trecho de um ensaio bem maior que escrevi a convite da Laura Erber e que deve sair ainda no primeiro semestre de 2018 pela Zazie Edições com o nome A mulher ventriloquada: o limite da linguagem em Arquíloco. Aconselho que leiam aqui os trabalhos que já saíram na Pequena Biblioteca de Ensaios, que é um trabalho grande de produção e circulação … Continuar lendo XANTO| Em torno do fragmento 196a de Arquíloco, por Guilherme Gontijo Flores

Teócrito, por Érico Nogueira

teócrito é geralmente conhecido como a fonte da poesia bucólica. influência de virgílio, etc. mas ele é muito mais do que mero ponto de partida, e espero que uma experiência poética em tradução de érico nogueira possa demonstrar um pouco do poder da sua poesia. érico nogueira (1979) é poeta, tradutor e professor de língua & literatura latinas na unifesp. é autor de o caderno de … Continuar lendo Teócrito, por Érico Nogueira

a música de safo e anacreonte, por leonardo antunes.

  a musicalidade (ou melopeia) da poesia grega arcaica é um fato indiscutível. o que ainda pouco se discute — no brasil — são as nossas possibilidades de recriação dessa melopeia com melodia, ou seja, sua reconstrução como música, tal como os exemplares de poesia trovadoresca (provençal & galego-portuguesa) que nos chegaram com notação musical. os poemas de safo & anacreonte não tiveram essa felicidade. … Continuar lendo a música de safo e anacreonte, por leonardo antunes.

3 elegias de sexto propércio

então logo abaixo vai um mínimo trecho da apresentação, 3 poemas (dos mais de 90) & algumas notas adaptadas ao blog. os 3 poemas formam um ciclo importante do primeiro livro de elegias & neles propércio discute a importância da poesia amorosa, num tom irônico, como é seu praxe. guilherme gontijo flores ps: a edição deve sair no primeiro semestre do ano que vem. * * … Continuar lendo 3 elegias de sexto propércio

álbio tibulo (60-19 a.C.), por joão paulo matedi alves

fala-se pouco, muito pouco, da musa pederástica romana, sobre a poesia de amor entre homens. em geral, o tema se limita à grécia, em geral uma grécia idealizada onde não haveria restrições sexuais severas – um triste engano. no entanto, aqui, independente das minúcias do contexto social que permitia e codificava esse tipo de poesia, mais importante é ver a poesia que se fez com … Continuar lendo álbio tibulo (60-19 a.C.), por joão paulo matedi alves

o moretum [pseudo-virgílio].

uma das coisas que mais me deixa curioso na literatura é a existência – imensa – dos textos que cercam o eixo central do cânone, que tentam invadi-lo pela atribuição da auctoritas ao texto, mas que costumam perverter esse mesmo cânone por apresentarem processos literários distantes desse eixo, ou seja, movimentos que expressam a falta de uniformidade nos sistemas literários (se ainda pretendermos ficar com esse … Continuar lendo o moretum [pseudo-virgílio].

tito lucrécio caro (c. 99-55 a.c.)

tito lucrécio caro é uma das figuras mais interessantes da literatura romana. sua única obra que nos chegou, de rerum natura (da natureza das coisas) é um longo tratado epicurista escrito em versos (mais de 7 mil hexâmetros divididos em 6 livros). no entanto, diferente de outros tratados científicos que apenas são talhados em verso – mera prosa recortada – , a escrita de lucrécio … Continuar lendo tito lucrécio caro (c. 99-55 a.c.)