Finn’s Hotel

Finn’s Hotel, o dito “livro perdido de James Joyce”, foi publicado pela primeira vez como um volume à parte só em 2013, em junho (só podia), pela editora Ithys Press, numa edição acompanhada de ilustrações do cartunista Casey Sorrow. Ao que parece, pelo menos em sua maior parte, não se trata exatamente de um texto “novo”, nem perdido no sentido arqueológico da palavra, mas de … Continuar lendo Finn’s Hotel

]Exclosures[ de Emily Abendroth

Emily Abendroth (1975 -) é professora, artista e poeta experimental da Filadélfia, além de ativista pelos direitos dos presidiários nesse país dotado da maior população carcerária do mundo que são os EUA (pau a pau, porém, com China, Rússia e Brasil, claro). Ela trabalha com o grupo Decarcerate PA, que visa pôr fim ao encarceramento em massa no estado da Pensilvânia, é co-fundadora do Address … Continuar lendo ]Exclosures[ de Emily Abendroth

Cunt Shakespeare, de Dodie Bellamy

Dodie Bellamy é uma autora feminista experimental norte-americana associada ao movimento literário da New Narrative das décadas de 1970 e 1980, ao lado de figuras como Kathy Acker (1947 – 1997) e Dennis Cooper (1953 – ). Como diz a breve notinha introdutória à sua entrevista para a revista Paris Review, ela escreve obras “genre-bending” (ô, termo difícil de traduzir: eu arriscaria algo como “subversoras … Continuar lendo Cunt Shakespeare, de Dodie Bellamy

James Joyce, Finnegans Wake

O irlandês James Augustine Aloysius Joyce (1882 – 1941) é provavelmente o mais badalado dos escritores do século XX – qual outro, afinal, tem um dia, como o de hoje, dedicado a si? Ou pior, aliás, não a ele propriamente, mas a um personagem que foi criação sua. E, no entanto, ele teve uma carreira razoavelmente enxuta, consistindo de um livro de contos chamado Dublinenses … Continuar lendo James Joyce, Finnegans Wake