XANTO | Adam Zagajewski: In Memoriam, por Marcelo Paiva de Souza

Em meio a tantas, em toda parte, nos tempos que vamos vivendo – quantas mais, em nosso país, sob as torpezas de um necrogoverno desabridamente aliado à pandemia? –, a morte do poeta polonês Adam Zagajewski (1945-2021) em Cracóvia no último dia 21 de março não chegou de pronto a meu conhecimento. Ao contrário da suspeita que já acorre quase que num reflexo, a causa … Continuar lendo XANTO | Adam Zagajewski: In Memoriam, por Marcelo Paiva de Souza

Wladyslaw Szlengel (1912-1943), por Piotr Kilanowski

Wladyslaw Szlengel foi um poeta judeu-polonês nascido em Łódź. Suas canções escritas em polonês eram muito populares no Gueto, expressavam seus pensamento e estados de espírito. Eram recitados em diferentes apresentações de serões de diversões, circulavam em cópias de máquina de escrever ou hectográficas. Apesar de sua pouca qualidade artística, gozavam de popularidade, comoviam até às lágrimas, pois expressavam aqueles tempos, falavam de coisas com … Continuar lendo Wladyslaw Szlengel (1912-1943), por Piotr Kilanowski

Tomasz Różycki, por Rob Packer e Piotr Kilanowski

Canela e cravo

E agora jazo com um furo na cabeça, por ele a primavera
dentro de mim espreita, florescem as paredes,
floresce o papel de parede, a poltrona, a pelúcia
dos sofás e os pássaros exóticos podem lá para fora

fugir por fim, papai. Então, ao que parece,
hoje têm poder sobre nós os manequins,
e decoram cozinhas com as imagens
de nossos livros infantis. A culpa é do correio.

Desde o início sabia que esse seria o fim,
desde o dia em que das colônias recebi
a carta com as especiarias. Depois elas vinham
já sem aviso, de dia e de noite,

tão cheirosas, vibrantes, precisei me esconder
com elas, no escuro, só, cerrar os olhos. Continuar lendo Tomasz Różycki, por Rob Packer e Piotr Kilanowski

Anna Świrszczyńska (1909-1984)

Anna Świrszczyńska nasceu em 1909, em Varsóvia, e teve uma infância de pobreza. Começou a publicar seus poemas nos anos 30, continuando a escrever durante a Segunda Guerra Mundial – quando participou da resistência polonesa e conheceu Czesław Miłosz. A experiência da guerra deixaria marcas profundas em sua obra, culminando com o volume de versos Budowałam barykadę (Eu construí a barricada). Outra de suas temáticas centrais em suas … Continuar lendo Anna Świrszczyńska (1909-1984)

Irit Amiel (1931), por Luciano R. Mendes

Irit Amiel nasceu em Częstochowa, na Polônia, em 1931, sua origem judaica (a família de seu pai, Leon Librowicz, provavelmente consistia de judeus fugidos de Portugal e estabelecidos em terras alemãs cerca de 400 anos antes, de onde foram para a Polônia). Durante a Segunda Guerra Mundial ficou algum tempo no Gueto de Częstochowa, de onde escapou. Com documentos falsos e a ajuda de poloneses … Continuar lendo Irit Amiel (1931), por Luciano R. Mendes

Bohdan Zadura (1945-), por Luciano R. Mendes

Bohdan Zadura (Puławy, 1945) debutou, como muitos outros importantes poetas poloneses, no ano de 1968 – o início da chamada Nowa Fala (Nova Onda) da literatura polonesa. Sua poesia, a princípio, utilizava-se de formas clássicas, em especial o soneto mas, a partir dos anos 1980, abandonou essas tendências e deixou-se influenciar por poetas mais contemporâneos, notadamente os norte-americanos da assim chamada Escola de Nova Iorque. … Continuar lendo Bohdan Zadura (1945-), por Luciano R. Mendes