Óssip Mandelstam, por Guilherme Zani Teixeira

Óssip Emilevitch Mandelstam (1891-1938), poeta, ensaísta e tradutor, publicou três coletâneas de poesia em vida: Камень [Pedra], em 1913, obra que mais se aproximou da proposta do acmeísmo, movimento iniciado em 1911 e que buscava responder aos excessos do simbolismo, tópico que já vinha sendo debatido há quase uma década; Tristia, em 1922, com um título que faz alusão a Ovídio, poeta com o qual … Continuar lendo Óssip Mandelstam, por Guilherme Zani Teixeira

Arsêni Tarkóvski, por Irineu Franco Perpétuo e Guilherme Gontijo Flores

Nove anos atrás, Bernardo Lins Brandão fez um post sobre a poesia de Arsêni Tarkóvski (Arseny Tarkovsky em grafia anglófona, 1907-1989); foi um post modesto em resposta ao nosso encantamento pela poesia desse russo que segue sendo mais conhecido como pai do cineasta Andrei Tarkóvski do que como poeta de força fora do comum. Andrei, de modo muito explícito, usou trechos de poemas do pai … Continuar lendo Arsêni Tarkóvski, por Irineu Franco Perpétuo e Guilherme Gontijo Flores

Maiakóvski em viagem, por Paulo Ferraz

Para quem fez versos para seu passaporte soviético, é de se supor que Vladímir Maiakóvski o tenha usado bastante. E sim, após algumas viagens por cidades soviéticas, o poeta georgiano, nascido em 19 de julho de 1893 e que desde a adolescência vivia em Moscou, vai algumas vezes para o ocidente, Riga, Praga, Varsóvia, Berlim e Paris, são algumas das cidades por ele visitadas depois … Continuar lendo Maiakóvski em viagem, por Paulo Ferraz

Marina Tsvetáieva, por André Nogueira

Marina Ivánovna Tsvetáieva nasceu em Moscou a 8 de outubro (26 de setembro, pelo antigo calendário russo) de 1892, e viveu na Rússia até o ano de 1922. Recebendo notícia de seu marido, Serguei Efron, então oficial da Guarda Branca, derrotada pelo Exército Vermelho na guerra civil após a revolução de 1917, decidiu reunir-se a ele em Praga. Dos anos revolucionários em Moscou guardou lembranças … Continuar lendo Marina Tsvetáieva, por André Nogueira

Eugênio Oneguin, de Alexandr Pushkin (1799-1837)

Alexandr Serguêievitch Pushkin, ou também grafado Aleksandr Púchkin (1799 -1837), é daquelas figuras fundadoras de um povo pelo encontro da língua. é o poeta-romancista moderno, romântico, insano da rússia pré-futurista; foi a figura que conseguiu fazer o vernáculo russo entrar no escalão da literatura de elite, com um gosto pela sátira, a ironia &, por que não?, o sentimentalismo. &, como quase todo tipo de … Continuar lendo Eugênio Oneguin, de Alexandr Pushkin (1799-1837)

Ana Akhmátova (1889 – 1966)

Nascida Ana Andreiévna Gorenko, em Odessa (antigo Império Russo, hoje Ucrânia, amanhã… dado o andar das coisas, sabe-se lá) e instalada em São Petersburgo, Ana Akhmátova consta entre os principais nomes do acmeísmo – do grego akme, com o sentido de “apogeu”,  um movimento liderado por Gumiliov, seu primeiro marido, em reação ao então predomínio da estética simbolista – na literatura russa do começo do … Continuar lendo Ana Akhmátova (1889 – 1966)