Duas cenas de necromancia na Antiguidade: a Odisseia e o livro de Samuel

Publicado pela primeira vez em 1946, o livro Mímesis, do filólogo e crítico Erich Auerbach, além de ter sido um marco para a crítica literária em geral, também teve uma profunda influência no campo dos estudos da Bíblia pelo viés literário – em “A cicatriz de Ulisses”, o ensaio que abre o livro, e um dos seus mais famosos, o autor compara o estilo do … Continuar lendo Duas cenas de necromancia na Antiguidade: a Odisseia e o livro de Samuel

A pornochanchada medieval do Alfabeto de Ben Sirá

Eu gostaria de aproveitar a série de postagens do Gontijo sobre o que ele tem chamado de uma poética da prosa para apresentar para vocês uma pequena seleção de um livrinho muito, muito bizarro produzido pela cultura judaica medieval. Se recorro a um termo claramente anacrônico como pornochanchada – e não meramente “burlesco” – para descrevê-lo é só porque de fato somente o espírito da … Continuar lendo A pornochanchada medieval do Alfabeto de Ben Sirá

Distúrbios do sono, de Vinicius Ferreira Barth

VINICIUS F. BARTH nasceu em Curitiba em 1986. Mestre em Literatura pela UFPR, traduziu a poesia de Homero, García Lorca, Konstantínos Kaváfis, Alejandra Pizarnik e outros para o nosso blog, além de ter participado da tradução coletiva da primeira versão brasileira do Paraíso Reconquistado, de John Milton (Editora de Cultura, 2014). É editor-chefe da revista virtual de arte e cultura R.Nott Magazine e vem se dedicando também … Continuar lendo Distúrbios do sono, de Vinicius Ferreira Barth

Urmuz, por Luciano R. Mendes

Urmuz é o pseudônimo usado por Demetru Dem. Demetrescu-Buzău, escritor romeno nascido em Curtea de Argeș, em 17 de março de 1883 e falecido em Bucareste, em 23 de novembro de 1923, quando atirou na própria cabeça em público. Sabe-se muito pouco de sua biografia nos anos entre a excentricidade que apresentava na escola e o seu suicídio. Deixou uma obra curta e bastante curiosa: … Continuar lendo Urmuz, por Luciano R. Mendes

2 contos de Nescio, por Daniel Dago

Principal contista holandês do século XX, Nescio (“não sei”, em latim), pseudônimo de Jan Hendrik Frederik Grönloh (1882-1961), teve uma vida totalmente à parte do meio literário. Trabalhou a vida inteira em uma empresa de importação/exportação e escreveu muito pouco. Apenas três livros curtos, todos de contos, foram publicados durante sua vida. Pouquíssimo conhecido, somente meses antes de sua morte ganhou um prêmio. Desde então … Continuar lendo 2 contos de Nescio, por Daniel Dago