Uma casa para ordenar o caos: entrevista de Ronald Polito a Fabio Weintraub

Por ocasião do lançamento de seu mais recente livro de poemas, Ao abrigo (Belo Horizonte: Scriptum, 2015, 60 p., ISBN 978-85-89044-95-0, R$ 35,00), o poeta e historiador Ronald Polito refere-se à própria experiência criativa como deslocada em face da “apercepção trágica ou irônica do mundo”; discorre sobre a diversidade formal nos poemas de Ao abrigo; questiona a fixação dos companheiros de ofício em parâmetros herdados … Continuar lendo Uma casa para ordenar o caos: entrevista de Ronald Polito a Fabio Weintraub

“res no és mesquí”, de joan salvat-papasseit (1894-1924)

joan salvat-papasseit é talvez a maior figura do modernismo catalão, sobretudo no futurismo. seguindo o padrão de vida maudit, libertário & anarquista, morreu novo, com 30 anos, de tuberculose, talvez num ato final de união entre literatura & vida. mas nesse pouco tempo publicou 5 livros: Poemes en ondes hertzianes, L’irradiador del port i les gavines, Les conspiracions, La gesta dels estels , El poema de La rosa als llavis. logo … Continuar lendo “res no és mesquí”, de joan salvat-papasseit (1894-1924)

salvador espriu (1913-1984)

salvador espriu nasceu em santa coloma de farmes em 1913, mas foi cedo para barcelona, onde foi criado & viveu até morrer, em 1984. formou-se em direito e em história antiga, mas o que realmente fez nesta vida foi escrever. estreou aos 19 com a prosa israel: esbozos bíblicos, e a este livro se seguiram muitos outros ao longo dos seus 50 anos de carreira, dentre … Continuar lendo salvador espriu (1913-1984)