Distúrbios do sono, de Vinicius Ferreira Barth

VINICIUS F. BARTH nasceu em Curitiba em 1986. Mestre em Literatura pela UFPR, traduziu a poesia de Homero, García Lorca, Konstantínos Kaváfis, Alejandra Pizarnik e outros para o nosso blog, além de ter participado da tradução coletiva da primeira versão brasileira do Paraíso Reconquistado, de John Milton (Editora de Cultura, 2014). É editor-chefe da revista virtual de arte e cultura R.Nott Magazine e vem se dedicando também … Continuar lendo Distúrbios do sono, de Vinicius Ferreira Barth

3 poemas inéditos de vinicius ferreira barth (1986-)

vinicius ferreira barth (1986, curitiba) vive em buenos aires. tem graduação em português e grego antigo & mestrado em estudos literários pela UFPR. já traduziu poesia, de milton a garcía lorca, de kaváfis a pizarnik, & hoje toca um projeto de tradução das argonáuticas de apolônio de rodes (um trecho saiu aqui), tendo já lançado o primeiro canto com comentário em forma de dissertação. atualmente trabalha também em dois … Continuar lendo 3 poemas inéditos de vinicius ferreira barth (1986-)

horácio fiebelkorn

Horacio Fiebelkorn nasceu em La Plata em 1958 e vive em Buenos Aires. Publicou Caballo en la catedral (ed. El Broche, La Plata, 1999), Zona muerta (La Bohemia, 2004), Elegías (2008), Tolosa (2010), Sobre o tempo que se perde em buscar o tempo perdido (publicado em plaquete com tradução de Virna Teixeira, São Paulo, 2011) e Pájaro en el palo (Uruguay, 2012). Integrou também uma antologia de poetas platenses em 1998 e a Antologia de poesia erótica … Continuar lendo horácio fiebelkorn

poesia e quadrinhos (2 de 2): a visualização

não faço ideia do que outros poetas visualizam na hora de compor seus textos. nunca perguntei. eu, por minha parte, tenho para cada um dos meus trabalhos uma cena muito concreta gravada na memória, um tipo de imagem que traduz toda a situação descrita no poema. por causa disso eu sempre gostei de poemas narrativos, épicos e poemas de situação (uma variação de sitcoms, sit-poems?). … Continuar lendo poesia e quadrinhos (2 de 2): a visualização

4 traduções no jornal relevo

Essas quatro traduções – feitas por nós quatro do escamandro, cada um trabalhando com um idioma diferente e com um autor já trabalhado aqui – foram publicadas no Jornal RelevO, edição de novembro de 2012, disponível em versão impressa, mas também online, clicando aqui. Um poema de Rumi, via Coleman Barks I eis a alquimia da condição humana: no momento em que são aceitas as … Continuar lendo 4 traduções no jornal relevo

argonáutica 1.605-914 – o episódio de lemnos

o poema épico conhecido como as argonáuticas de apolônio de rodes representa uma das (senão a) obras maiores do período helenístico na antiguidade. diferentemente do que pregavam contemporâneos do autor como teócrito e calímaco (este tendo dito: ‘um grande livro é um grande mal’), autores de poemas menores em extensão, como epigramas, e pensadores de uma poética sucinta, apolônio compõe uma épica de extensão considerável: … Continuar lendo argonáutica 1.605-914 – o episódio de lemnos

calle la barcelonesa – vinicius ferreira barth

gustav klimt – danaë (1907) com sinceros agradecimentos à queridíssima poeta argentina romina alves, que, com sua criação half-porteña half-portuguesa, nos proporciona uma sonoridade única, fazendo com que meu próprio texto alcance, oralmente, resultados que eu mesmo não havia previsto. ela é autora do livro lançado agora em 2012 chamado poesía vana, que contém também poemas em português. apertem play e boa leitura. [p.s.: quem … Continuar lendo calle la barcelonesa – vinicius ferreira barth

egeu – vinicius ferreira barth

  egeu menino sentado na chuva                                   no meio da rua e dúzias de portos de págasas sonhando inalcançáveis velos e dúzias de esquinas úmidas como as que dobram a boca pôntea e ciâneas                                                                  rochas como incontáveis remos que rebatem gota a gota a forma incerta de um oceano em despedaço assoprado por um éolo entediado a chuva fora um zeus          sentado na … Continuar lendo egeu – vinicius ferreira barth

um ano é pouco

um ano é pouco & claro nós queremos mais nós queremos muito mais queremos tudo agora (citando queen) um ano é pouco mas para nós foi muito muito embora cientes que esse nosso muito ainda seja pouco – a ponta do iceberg derretida espalhada no oceano i.e. perdida i.e. investida sobre nada – por isso nessa nossa pequenez megalomaníaca 4 novos poemas maníacos i.e. cínicos (o riso de um … Continuar lendo um ano é pouco

a era – vinicius ferreira barth

                             angústia! a onda do tempo oscila                             batida pelo vento do século.                                     osip mandelstam / h. camposum baú circunvolto por cobrasrepleto de risos absurdosna caçamba de um caminhão atrásum homem correciente de seu fracasso   vinicius ferreira barth Continuar lendo a era – vinicius ferreira barth