poesia

Tiago D. Oliveira

IMG-20160516-WA0005

Tiago D. Oliveira, professor e pesquisador, graduado em letras pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Publicou contos e poesias em Portugal, onde viveu e estudou na Universidade Nova de Lisboa. Em 2014 teve seu primeiro livro editado de poesia no Brasil, Distraído. Atualmente desenvolve pesquisas sobre a ética dos afetos em formas breves na literatura portuguesa, projeto que é ligado à Universidade Federal da Bahia e ao CNPQ (UFBA). Prepara-se para editar mais um livro de poesias – O criador de santos.

* * *

POEMA DE O CRIADOR DE SANTOS

uma velhinha de chale
põe a boca no pescoço de outra
a saliva misturando-se com o perfume
a língua e os dentes como crucifixo
enquanto reificadas eram postas
em lugares comuns nos dias
que seus olhos fechados não viam
mergulhados no gozo calmo
das coisas que ficam

§

O peso de sentir! O peso de ter que sentir
                    Livro do Desassossego – F.P.

olhávamos para as músicas
as palavras do jornal olhávamos
para o vento assobiando na greta
as valas abertas sob o sol olhávamos
para o voo do beija-flor
as marcas no tempo
para o dia que chegava olhávamos
para as pessoas apenas
não sentíamos mais nada
a não ser a sensação de termos
já sentido isso também

§

Reflexões sobre o pé da bailarina

como pensar no peso
se o movimento encanta
espalha qualquer névoa
nódoa bolha de sangue ?
perto do chão
conseguir-se altivo idílico
como
questionar a dor interpelar o segredo
a alimentar a beleza de carregar o peso
enquanto agrada a multidão
muito mais por aquilo que dela
passa contorcendo-se ?
como
entender o limite equilíbrio
o entre: carregar o peso é dança

§

Sina de bom moço é colocar bem-me-quer na correnteza 

ela estava entre
o entrudo e o carnaval
vendendo seus poemas
pintados no corpo nu
aqueles leitores jamais esqueceriam
do movimento de suas rimas
do verso quebrado em praça pública
da palavra rebolando
para caber na métrica perfeita
e de repente a poesia ganhava
finalmente um sentido social

§

Breves notas sobre o suor e a palpitação de mais um leitor 

oito anos de idade não servem
para uma montanha russa
é preciso mais noites e dias
com oito anos não sabia nada
da noite dormia e sonhava
assim casou-se com um homem
velho quase sem cores e riso
exceto nas madrugadas
em que não se adormecia
controlava-se a respiração
pouco a pouco até que ela
crescesse engolindo a escuridão

Anúncios
Padrão

2 comentários sobre “Tiago D. Oliveira

  1. Stephanie Barbosa disse:

    Parabéns Amigo, Fico feliz por voçe , Suas Poesias são maravilhosas pode ter certeza que estarei presente dinovo no lançamento !
    um grande beijo .

  2. Luis Antônio Oliveira disse:

    Que perfeito meu primo…
    Vejo a sua luta e percebo que você vai chegar a patamares jamais imagináveis… Nós orgulhamos de você… Beijos….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s