poesia

glaysson zamt (1984)

facebook_450663158

Glaysson Zamt nasceu em Minas Gerais no ano de 1984. De lá pra cá muita coisa foi escrita – e, sobretudo reescrita. Não tem especialização em literatura nenhuma e nem bacharelado em nada. Mas em compensação, foi aluno de um dos grandes mestres do saber poético-universal: Seu Nonato. Avô, velho matuto e analfabeto exemplar que tece uma prosa como ninguém e já plantou (sozinho) em seu quintal muitos pés de eternidades – e disso nunca se gabou, pois que não vê razão em ser reles. Glaysson atualmente vive em São Paulo, mas pra tudo tem jeito.

O poema abaixo faz parte do livro Obscenos gestos avulsos, que será lançado em breve pela Editora Patuá.

guilherme gontijo flores

* * *

BALADA PARA AUGUSTE

Desconheço a medida das coisas
………..– se é que as coisas podem ser
Do ponto
onde me encontro
até onde os olhos podem ver
diviso
………sob a tutela da ordem
………(essa benção!)
a marcha fúnebre dos corpos
cansados
que com seus trejeitos estranhos
………de gado a serviço do pasto
……….– da pátria
inauguraram a treva
em nós
E com suas vozes
sem boca
que anunciam planos ótimos
para se comprar esperança
a prazo
………– em vinte vidas sem juros
perpetuam
ao longo dos tempos
o bordão
karmicômico
do progresso
que virá
em breve
virá
………– você está preparado?

(Glaysson Zamt)

Padrão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s