poesia

4 poemas inéditos de alexandre guarnieri (1974-)

guarnieri

Alexandre Guarnieri (carioca de 1974) é poeta e historiador da arte. Atualmente pertence ao corpo editorial da revista eletrônica Mallarmargens e integra (desde 2012), com o artista plástico, músico, ator e poeta, Alexandre Dacosta, o espetáculo mutante [versos alexandrinos]. Casa das Máquinas (Editora da Palavra, 2011) é seu livro de estreia e está disponível online (no issuu.com). Publicou poemas em revistas e jornais, dentre eles o Panorama da Palavra, Urbana, O Carioca, Suplemento Literário de Minas Gerais, dEsEnrEdoS, RelevO, Eutomia, Zunái, Musa Rara, Acrobata e Germina. Em 2014, participou das antologias Essas águas (Org. Vagner Muniz, 2014 [ebook]) e Hiperconexões: realidade expandida, volume 2 (poemas sobre o pós-humano; Org. Luiz Bras, Patuá). Seu próximo livro, Corpo de Festim (Confraria do Vento)está no prelo e será lançado em breve. Email: alex.guarni@gmail.com
Os poemas a seguir são “livro aberto”, na primeira imagem, e 3 poemas “o sangue”, “o suor” & “a lágrima”, que fazem parte da série mecânica dos fluidos; todos pertencem ao livro inédito, Corpo de Festim.
* * *
livro aberto 2
§
fluidos 2
(poemas de alexandre guarnieri)
Padrão

2 comentários sobre “4 poemas inéditos de alexandre guarnieri (1974-)

  1. O poeta me encanta com sua magia anatômica, técnica e criatividade de mãos dadas. A trilogia “mecânica dos fluidos”, sangue, suor e lágrima, de que é feita toda o esforço da criação e do próprio viver, trouxeram-me a certeza de que Alexandre Guarniere é poeta dos bons. Quero segui-lo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s